Calina

Artigos

2017 é o ano das PMEs na Black Friday

aprox. 9 min / Marketing Negócios Vendas Black Friday

Resultado de imagem para black friday

 

Pequenas e médias empresas devem estar sempre de olho no calendário de datas comerciais que apresentam boas oportunidades de negócio. Uma das mais esperadas pelo comércio atualmente é a Black Friday.

Surgida nos Estados Unidos, a data é sempre marcada para a sexta-feira posterior ao Dia de Ação de Graças — em 2017, será no dia 24 de novembro —, quando as lojas oferecem grandes descontos para liquidar os estoques antes do Natal.

Diferentemente do Dia das Mães, dos Pais ou das Crianças, a Black Friday é estritamente comercial. Não há um motivo para se comemorar… A não ser as vendas do seu negócio!

Então, é hora de começar a se planejar! Para isso, você verá aqui no nosso blog uma série de artigos sobre a data para ajudar a sua empresa. Vamos começar agora com esse post, sobre os números e as expectativas da Black Friday 2017. Acompanhe:

Como foi a Black Friday em 2016?

No Brasil, a Black Friday começou em 2010, especialmente no comércio eletrônico. A partir de então, o número de lojas, vendas e faturamento só aumenta.

A Ebit realizou um levantamento sobre os resultados do e-commerce na Black Friday em 2016, e trouxemos os principais números para você:

Vendas continuaram crescendo

Em 2016, durante a data foram realizados 2,92 milhões de pedidos online, que geraram um faturamento de R$ 1,9 bilhão — um crescimento de 17% em relação a 2015.

O ticket médio do consumidor foi de R$ 653. Em comparação, o comércio eletrônico brasileiro registrou um ticket médio de R$ 417 ao longo de 2016, segundo o relatório Webshoppers, também realizado pela Ebit. Percebe-se com isso o poder da Black Friday.

Mobile demonstrou sua importância

Do total do faturamento, R$ 380 milhões foram de compras realizadas em smartphones e tablets — um percentual de cerca de 20%, que ultrapassou os 8,7% de 2015. Ou seja, a participação do mobile mais que dobrou no último ano.

Além disso, a importância se revela também no tíquete médio das compras realizadas em dispositivos móveis: R$ 753, cerca de 20% maior do que via desktop.

Destacaram-se produtos com alto valor agregado

Tanto em volume de pedidos quanto em faturamento, os produtos mais vendidos foram eletrodomésticos e, em segundo lugar, telefones e celulares. Essas duas categorias, com produtos de maior valor agregado, foram grandes responsáveis pelo ticket médio expressivo da data.

Em volume de pedidos, a categoria Moda & Acessórios veio em terceiro lugar, seguida de Eletrônicos e Informática. Já em faturamento, os Eletrônicos ficaram em terceiro, seguidos de Informática e Casa & Decoração.

Quais são as expectativas para a Black Friday 2017?

O que esperar para esse ano? Cada vez mais o consumidor confia no comércio eletrônico, utiliza seu smartphone para fazer compras e se programa para aproveitar a data.

As projeções são positivas para a Black Friday 2017, especialmente para as PMEs. Em agosto, o Google lançou uma pesquisa com as expectativas para este ano, e nós trouxemos as principais conclusões para você:

Faturamento seguirá crescendo

Segundo o Google, a expectativa de faturamento para a Black Friday 2017 é de cerca de R$ 2,2 bilhões — um crescimento de 15 a 20% em relação ao registrado no ano passado.

Embora o cenário político e econômico no Brasil continue incerto, alguns índices dão sinais favoráveis. A tendência de queda da taxa de juros e da inflação e a crescente intenção de consumo das famílias são bons indicativos.

Mais consumidores comprarão na Black Friday

Cada vez mais consumidores esperam comprar na Black Friday. Prova disso é que a intenção de compra está alta: a pesquisa mostrou que, em 2017, 68% pretendem comprar algo na data. No ano anterior, esse percentual era de 61%.

Muito da confiança do consumidor vem de uma mudança de atitude das lojas, que deixaram para trás a imagem de “Black Fraude”, quando ofereciam “tudo pela metade do dobro”.

Mais vendas serão realizadas fora da sexta-feira

Engana-se quem pensa que a Black Friday se restringe a um dia de descontos. Em 2016, por exemplo, 21% das compras aconteceram fora da sexta-feira, e com um ticket médio maior.

As lojas tendem a aproveitar cada vez mais a semana toda. A intenção é fisgar o consumidor antes e depois da sexta-feira, quando a concorrência por atenção é muito maior.

Preço não será único fator de decisão

Preço baixo é o grande atrativo da Black Friday. Mas as lojas que oferecem apenas isso não terão sucesso em 2017. Isso porque a confiança e o nível do serviço(51%) contam até mais do que o preço (49%) na decisão de compras online.

Além disso, 2/3 dos consumidores tendem a comprar na Black Friday nas mesmas lojas em que compram regularmente. Portanto, a fidelidade também será determinante para o sucesso das vendas.

PMEs terão mais destaque

Agora, a melhor notícia para as PMEs: a Black Friday está cada vez mais plural. Nos últimos 4 anos, o número de lojas virtuais participantes cresceu 10x (de 100 para 1000), e de lojas físicas, 2x (de 22 mil para 43 mil).

Além disso, sites menores tiveram um crescimento de 161% na Black Friday em relação à média de novembro, ao passo que os sites maiores tiveram 134%. Isso demonstra um espaço cada vez maior para os pequenos crescerem e conquistarem a atenção do consumidor na data.

Então, já é hora de começar a pensar na Black Friday! Se você ainda não sabe muito bem por onde começar, fique atento aos próximos posts que serão publicados por aqui. Vamos te ajudar a aproveitar muito bem essa data para vender mais neste fim de ano!


Artigos Relacionados

Sobre o autor

Daniel Palis Daniel Palis

Possui formação em Ciência da Computação pela USP, Publicidade & Propaganda pela UFG, além de um MBA em Marketing Digital (ESPM/SP). Trabalhou por mais de 3 anos na SKY, empresa de TV por assinatura, fazendo parte da equipe de Marketing.


× Baixe agora nosso e-book sobre 10 dicas de marketing digital para sua empresa
Quero o e-book!