Blog

Como conseguir clientes mesmo durante a crise

Marketing Vendas

Na manhã de uma segunda-feira, a Dra. Márcia se preparou mais uma vez para ir ao seu consultório. Depois de tantos anos de dedicação profissional, ela é hoje uma especialista. Mas apesar dos esforços e do trabalho duro, ela sente um frio na barriga: o futuro de seu consultório e da sua vida nunca foi tão incerto. Tudo que passa em sua cabeça é: como conseguir clientes se a economia vai de mal a pior?

A descrição acima poderia acontecer a muitos empreendedores e profissionais que eu conheço. Pessoas incrivelmente capacitadas, especialistas em suas áreas, mas que se sentem reféns do futuro. Elas não tem controle sobre seus clientes, e por isso torcem para que a economia seja favorável e assim seus consultórios ou escritórios fiquem cheios. Daí vem uma grande crise econômica, como essa que estamos vivendo, e a ansiedade começa a assombrá-las.

O que estes profissionais não sabem é que os tempos estão mudando. Com a ferramenta certa e o conhecimento para operá-la, encontrar o paciente para seu consultório, ou o cliente para seu escritório, nunca foi tão fácil. Hoje é possível estar na hora e no lugar certos em que alguém precisa de seus serviços. Nesse tipo de contexto, basta que o profissional apresente seu bom trabalho para conquistar um novo cliente.

Vou mostrar nesse artigo que a tal ferramenta revolucionária chama-se Marketing Digital. Com ela é possível continuar crescendo mesmo quando a economia não vai bem. Também apresentarei dados que comprovam esse argumento e, por fim, transformaremos radicalmente as perspectivas da Dra. Márcia.

A Revolução da Economia Digital

Ao chegar em seu consultório e olhar para a agenda parcialmente preenchida, a Dra. Márcia se pega pensando de que maneira poderia contornar o problema. Quem sabe achar uma forma de mostrar para o público a ótima profissional que ela é? Mas ela não tem a menor ideia de como fazer isso. Será que deveria fazer uma propaganda na rádio, comprar um anúncio em uma revista ou usar um outdoor? Sem saber por onde começar, ela puxa seu smartphone do bolso e começa a fazer algumas buscas no Google...

Segundo o último relatório do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), órgão oficial do governo, o comércio varejista brasileiro fechou 2015 com uma queda de 4,3%. No mesmo período, segundo o relatório Webshoppers, o comércio eletrônico cresceu 15,3%, movimentando 41,3 bilhões de reais. Como é possível um crescimento de 2 dígitos (que já vem acontecendo desde 2011) se a economia como um todo vai mal? A resposta esta em como o comércio eletrônico funciona.

As Diferenças entre a Economia Tradicional e a Economia Digital

Em uma economia tradicional, enquanto o país vai bem, as pessoas tendem a consumir mais. Prevendo isso, as empresas fazem propagandas na televisão, rádio ou revistas para tentar abocanhar uma parte desse dinheiro. Elas “atiram” para todos os lados e acabam acertando bastante, já que as pessoas muitas vezes compram produtos mesmo que não sejam necessários. Mas quando o momento é de crise, as pessoas começam a fazer contas. Elas passam a comprar apenas o que julgam realmente necessário. Assim, aquele monte de propaganda passa a encontrar pessoas que não querem e não vão comprar esses produtos. Por fim, o preço passa a ser o diferencial mais importante, o que força as pessoas a pesquisarem bastante antes de comprar.

Já em uma Economia Digital, são as pessoas quem vão até os produtos. Pense em você buscando no Google aquela passagem de avião ou um novo sapato. Ao pesquisar, já existe em você uma intenção de compra, que vai se consolidando cada vez mais à medida que suas expectativas são atendidas. Esse cenário é diferente de alguém assistindo televisão e sendo bombardeado por dezenas, centenas de propagandas de produtos que não lhe interessam. Durante uma crise as pessoas tenderão a comprar cada vez mais de maneira online, pois podem pesquisar os melhores preços dos produtos que elas procuram.

Como isso pode ajudar os profissionais a conseguirem mais clientes durante a crise? É simples: as demandas para os serviços destes profissionais ainda continuam existindo. As pessoas vão ao dentista, ao médico ou ao psicólogo mesmo que a economia não esteja bem. A diferença é que elas procurarão cada vez mais no Google ou em outra ferramenta online. E é aí que o profissional autônomo antenado irá se diferenciar.

Como Conseguir Clientes com o Google Adwords

O infográfico abaixo mostra de uma forma visual como funciona o Google Adwords (também conhecido como Links Patrocinados) para um profissional e seu público. Note que a maior parte da energia despendida no processo acontece do lado do público. Por isso, quando este finalmente encontra a mensagem do profissional, a chance de se transformar em um cliente é muito maior do que em uma economia tradicional.

Conclusão

Depois de sofrer com a ansiedade de ver seus pacientes desaparecerem e o medo de ter que encontrar outra atividade profissional que não a sua própria especialidade, a Dra. Márcia finalmente resolveu experimentar o Marketing Digital. Agora toda vez que um possível novo paciente busca por serviços como os que ela oferece, há uma chance razoável do Google apresentar sua página como resultado. Se ele vai ou não se tornar um cliente, não há como sabermos. Mas pelo menos a Dra. Márcia terá uma chance de apresentar seu bom trabalho e a especialista apaixonada que ela é.

No artigo apresentado espero ter esclarecido as dúvidas iniciais dos profissionais que tem se preocupado com a crise brasileira. Minha intenção foi mostra-los que há maneiras de contorna-la e, mais que isso, de se destacar bastante. Vale notar que a transição da Economia Tradicional para a Economia Digital não é um fato passageiro. A partir de agora, apenas os profissionais que se adaptarem ao novo modelo de mercado terão chances reais de sucesso.

Nos próximos artigos vamos continuar ensinando a como conseguir clientes durante a crise, com uso de algumas outras ferramentas do Marketing Digital.

E você, o que pensa sobre tudo isso? Se concorda ou discorda, deixe seu comentário aqui abaixo para podermos aprofundar a discussão. E compartilhe com outros profissionais para enriquecermos ainda mais a conversa.


Artigos Relacionados

Sobre o autor

Daniel Palis Daniel Palis

Possui formação em Ciência da Computação pela USP, Publicidade & Propaganda pela UFG, além de um MBA em Marketing Digital (ESPM/SP). Trabalhou por mais de 3 anos na SKY, empresa de TV por assinatura, fazendo parte da equipe de Marketing.


× Baixe agora nosso e-book sobre 10 dicas de marketing digital para sua empresa
Quero o e-book!

Fale Conosco