Calina

Artigos

Métricas a partir de dados reais: Data Driven

aprox. 12 min / Tendências Metas marketing digital

fotografia de um computador apresentando dados a partir da cultura data driven

Na era da internet e do marketing digital, muito se fala em ter empresas data driven. 

Isso significa colocar os dados, que são cada vez mais numerosos e ricos em informações, como norteadores das estratégias de negócio.

Muitos profissionais já utilizam os dados no seu dia a dia. Eles fazem pesquisas sobre o público, monitoram concorrentes, analisam métricas de campanhas e elaboram relatórios de desempenho

Porém, poucas empresas desenvolvem uma verdadeira cultura data driven.

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é uma cultura data driven, como ela pode transformar as empresas e como você pode adotar no seu negócio.

O que é cultura data driven?

Cultura data driven é a adoção do big data como eixo central da tomada de decisões em todas as estratégias de negócio. A expressão significa “cultura orientada por dados”, ou seja, são eles que orientam a empresa, não apenas no marketing, mas em todas as áreas.

Os dados são capazes de revelar informações estratégicas, gerar insights e embasar decisões. No volume em que estão disponíveis atualmente, esses dados podem transformar a maneira de fazer negócios.

Mas, para que os dados sejam de fato transformadores, eles precisam integrar a cultura organizacional. Não basta entrar nas estratégias esporadicamente, apenas para criar um relatório de uma campanha de marketing ou fazer uma pesquisa de mercado. 

É claro que esses usos precisam ser incentivados e valorizados. Porém, criar uma cultura data driven significa criar uma nova mentalidade, em que os dados estão sempre presentes.

A importância da cultura data driven

fotografia das mãos de um profissional analisando os dados de data drivenA cultura data drive revolucionou a maneira das organizações guiarem suas estratégias

O marketing é um bom exemplo para explicar a importância da cultura data driven. Há alguns anos, essa área não tinha tantos dados para embasar as escolhas de qual o melhor veículo para determinada campanha ou qual público deveria ser atingido. 

Na veiculação de um anúncio de TV, por exemplo, o canal era escolhido com base na afinidade com o público-alvo da empresa e o preço da publicidade, previamente definido.

No marketing digital, porém, isso mudou. Um anúncio no Google, por exemplo, pode ser segmentado detalhadamente para atingir exatamente quem a empresa precisa. 

Além disso, o veículo não tem um preço de mídia previamente definido — o anunciante paga apenas pelos resultados (geralmente cliques) que recebeu.

Esse é um exemplo de transformação que os dados trouxeram. As plataformas de publicidade — como Google Ads e Facebook Ads — têm acesso a uma infinidade de a dados reais sobre os usuários

Isso acontece porque eles próprios concedem acesso às suas informações de perfil e de navegação, em troca do uso gratuito dos seus serviços (a busca na web e as redes sociais, nesses casos).

É com esse ativo, então, que as plataformas atraem anunciantes e possibilitam que eles assumam o controle sobre suas campanhas e tomem melhores decisões, conforme seus objetivos e orçamento.

Portanto, ao embasar a tomada de decisões, a cultura data driven tem o poder de tornar as estratégias muito mais eficientes e precisas, de forma a reduzir os riscos dos investimentos e garantir que eles tenham o melhor retorno possível

No ambiente de alta competitividade que as empresas vivem hoje, eficiência é uma vantagem.

Isso vale também para outras áreas do negócio. Na hora de contratar novos colaboradores, por exemplo, a área de gestão de pessoas pode usar a inteligência de dados para recrutar os melhores candidatos. 

No financeiro, os dados podem revelar onde estão os gargalos da empresa ou quais produtos têm melhor rendimento.

Como adotar a cultura data driven

fotografia das mãos de uma pessoa analisando e criando estratégias a partir dos dados de data driven Adotar a cultura data driven requer o alinhamento entre dois recursos dos quais a sua empresa dispõe: tecnológicos e humanos.

Utilize softwares para lidar com os dados

Não é possível incorporar uma cultura data driven sem softwares. 

Você já imaginou coletar e tratar manualmente todos os dados que a internet oferece ao seu negócio? Você tem inúmeras informações sobre os seus clientes, o mercado, os concorrentes e a sua própria empresa.

Portanto, utilize ferramentas que façam o trabalho pesado para você. Softwares de análise de dados (Google Analytics, por exemplo), ERP, CRM e SEO são alguns exemplos de ferramentas que coletam informações da web e transformam em relatórios inteligíveis. 

Elas também ajudam a organizar o fluxo de informações e o compartilhamento com a equipe, o que torna o trabalho mais eficiente.

Promova os dados na cultura organizacional

Softwares, por si só, não são capazes de transformar uma empresa. Para ter uma cultura data driven, você precisa envolver os colaboradores. 

Toda a sua equipe deve entender a importância de utilizar os dados e fugir das suposições na hora de tomar decisões. Para isso, eles devem se sentir confortáveis usando as ferramentas que a empresa adotar.

Tudo isso exige um trabalho de conscientização e treinamento dos colaboradores e de integração entre a direção e a equipe.

Neste artigo, por exemplo, você pode compreender alguns princípios da Amazon para nutrir a sua cultura data driven. Entre eles, está a abertura do dono da empresa às sugestões dos colaboradores, quando eles evidenciam o impacto das escolhas por meio de testes e análises. 

Foi dessa maneira que Jeff Bezzos descobriu uma oportunidade de 1 bilhão de dólares em publicidade no site.

Porém, toda mudança envolve resistência. Por isso, é preciso se preparar para lidar com pessoas que resistam a essa mentalidade e prefiram “manter do jeito que está”.

Sendo assim,, se você quer adotar uma cultura data driven no seu negócio, faça um planejamento para isso. Não basta começar a usar algumas ferramentas e achar que está sabendo aproveitar o big data... Mudar a cultura da empresa exige um plano que envolva todos.

Quando os dados estiverem integrados às suas estratégias, como norteadores das decisões, você vai perceber que os resultados serão muito mais satisfatórios.

Quer saber mais? Leia também sobre o que são métricas e qual é a importância de adotá-las para fortalecer a sua cultura data driven.

Se interessou em aplicar a cultura data driven na sua empresa? Deixe as análises de dados para quem entende do assunto: 

 


Sobre o autor

Grupo Raccoon Grupo Raccoon

Conteúdo exclusivo do Grupo Raccoon. O Grupo é formado pelas agências Calina, Raccoon e Rocky e tem performance em seu DNA.


Artigos Relacionados
× Baixe agora nosso e-book sobre 10 dicas de marketing digital para sua empresa
Quero o e-book!