Blog

Estratégias de precificação: Entenda como defini-las da melhor forma

Negócios Vendas

Estratégias de precificação e números escritos em um caderno

As estratégias de precificação devem fazer parte do planejamento financeiro e de marketing de uma empresa. Elas estão diretamente relacionadas às finanças do negócio, mas também são determinantes na aceitação dos produtos pelo mercado e no posicionamento da marca.

O preço é um dos 4 Ps do mix de marketing, que englobam também produto, praça e promoção. Esses são os pilares do marketing operacional, ou seja, de como o produto ou a marca vão se colocar no mercado. O preço, então, é uma das formas de comunicar o seu posicionamento, em busca de afinidade com o público, mas também de vendas e lucros, já que é responsável por gerar receita.

Portanto, já dá para perceber que precificação precisa de estratégia, não é? Não basta olhar para quanto você deseja ganhar — é preciso entender como o público percebe os seus produtos e o seu preço.

Agora, então, vamos entender melhor como estabelecer as estratégias de precificação para definir o preço mais adequado ao seu mercado de atuação. Acompanhe:

O que são estratégias de precificação?

Estratégias de precificação envolvem análises internas e externas para tomar as decisões que formam o preço dos produtos de uma marca.

A precificação não define apenas o preço final de um produto, chamado de preço de lista. Essa estratégia também envolve as políticas de descontos, as possíveis concessões para gerar vendas e as condições de crédito para o consumidor.

Variáveis que influenciam nas estratégias de precificação

Para embasar as decisões de precificação, o planejamento das estratégias deve olhar para três variáveis que influenciam no preço: custos, lucros e mercado. Algumas estratégias focam mais em um ou outro fator, mas eles devem ser sempre considerados.

Custos fixos (como salários e aluguel) e variáveis (como matéria-prima e frete) devem entrar no cálculo do preço para que as vendas possam cobrir as obrigações da empresa. Caso contrário, as operações ficam inviáveis.

Os lucros também devem entrar no cálculo. Afinal, uma empresa não deseja apenas cobrir seus custos — ela também quer gerar lucro para possibilitar o seu crescimento. Por isso, a definição da margem de contribuição (ou seja, o valor que fica com a empresa depois de vender e cobrir seus custos) é determinante para as estratégias de precificação.

Por fim, o mercado é outra variável essencial para a formação do preço de venda. Você deve definir preços de olho nos concorrentes. Como estratégia de diferenciação, por exemplo, você pode definir um preço bem acima de concorrência para aumentar a percepção de valor. Essa decisão, no entanto, também precisa considerar o público-alvo e a aceitação — se não for adequado ao perfil, as vendas podem falhar.

Dicas para as suas estratégias de precificação

Notas fiscais e balanceamento das Estratégias de precificação
Escolher os preços dos produtos deve envolver uma série de considerações sobre os objetivos e projeções da sua empresa. Por isso, muita atenção na hora de decidir suas estratégias de precificação.

Então, quer algumas dicas de como fazer uma precificação eficiente para os seus produtos? Veja agora como tirar melhor proveito da escolha dos preços:

Alinhe preço e posicionamento

As estratégias de precificação dependem da decisão sobre o posicionamento da marca, de olho no perfil do público-alvo. É isso que orienta as definições dos 4 Ps. 

Se você se posiciona como uma marca de luxo e utiliza preços baixos, o público não percebe consistência no posicionamento e ele não se consolida. Não é por acaso, por exemplo, que os produtos da Apple têm um preço alto: o público percebe o valor da marca e se dispõe a pagar mais por isso.

Então, o preço está sempre associado à percepção da marca pelo mercado. Por isso, posicionamento e preço devem andar sempre juntos.

Não tire o olho do mercado

No planejamento das estratégias de precificação, você deve analisar o mercado para tomar decisões. Mas, depois disso, ele deve se manter sempre na sua mira. Afinal, o mercado está sempre se movimentando.

Fique de olho, por exemplo, se uma nova empresa entra no setor com preços semelhantes aos seus. Você poderia, nesse caso, baixar o preço para não perder clientes (mas lembre que isso também impacta na percepção da sua marca no mercado, ok?).

Não faça o preço variar demais

Preços são facilmente modificáveis. A qualquer momento você pode aumentar ou diminuir o valor de um produto, em busca de mais vendas ou afinidade com o público.

Mas, embora muitas empresas caiam nessa tentação, o ideal é manter o preço estável por períodos mais longos. Lembre-se de que o preço é um dos instrumentos de posicionamento da marca, e o público precisa de tempo para assimilar essa informação. Se você varia o preço a todo momento, acaba confundindo os consumidores e não cria afinidade com eles.

Isso não quer dizer que você não deva reajustar os preços de acordo com o aumento nos custos, ok? Mas, se você deseja usar o preço como estratégia para aumentar as vendas, é melhor recorrer a descontos e parcelamentos.

Enfim, preço é muito mais que o valor de venda de um produto. Ele envolve análises de mercado e cálculos de custos, está relacionado a percepções subjetivas e pode determinar o sucesso das vendas de uma marca.

Por isso, as estratégias de precificação precisam ser bem planejadas entre os setores de marketing e financeiro, para definir preços adequados aos objetivos da empresa.


Agora, indicamos que você leia sobre o que é break even point, que também se relaciona com as finanças e, consequentemente, interfere na precificação dos produtos.


Artigos Relacionados

Sobre o autor

Grupo Raccoon Grupo Raccoon

Conteúdo exclusivo do Grupo Raccoon. O Grupo é formado pelas agências Calina, Raccoon e Rocky e tem performance em seu DNA.


× Baixe agora nosso e-book sobre 10 dicas de marketing digital para sua empresa
Quero o e-book!

Fale Conosco