Calina

Artigos

O que é economia circular e como usá-la?

aprox. 15 min / Negócios Tendências Gestão Sustentável

Equipe de trabalho segurando uma muda de árvore nas mãos juntas.

As mudanças climáticas e as preocupações com o meio ambiente estão transformando hábitos. Cada vez mais pessoas estão se conscientizando sobre o impacto das suas ações no futuro do planeta. Então, por que as empresas ficariam de fora dessa mudança de atitude? Está na hora de entendermos o que é economia circular e a sua importância na gestão empresarial.

Economia circular é um conceito que vem para mudar a forma como nos relacionamos com a natureza. Em vez de acabar com os recursos do planeta em nome do crescimento econômico, os processos das empresas são alinhados ao desenvolvimento sustentável. 

Essa mudança de perspectiva pode transformar o mundo, as economias locais e as relações entre marcas e consumidores.

Agora, então, você vai entender melhor o que é economia circular e por que esse conceito deve fazer parte do seu negócio a partir de agora.

O que é economia circular?

Economia circular é uma perspectiva de ciclo dos processos de produção. Nesse tipo de economia, os recursos que seriam considerados resíduos ou descartes ganham novo valor econômico ao serem reintroduzidos na cadeia produtiva ou criarem novos ciclos de produção.

Reciclar, reutilizar, recuperar, remanufaturar, compartilhar, otimizar processos e estender a vida dos produtos são exemplos de iniciativas de economia circular. A intenção é reduzir ou até eliminar a palavra descarte dos processos produtivos.

Garrafas, Latas e baldes reutilizados como vasos de plantas, coloridos.A regra dos 3 R’s é essencial para manter a economia circular.

A economia circular combina crescimento econômico e sustentabilidade, diferentemente de como os processos de produção são desenvolvidos há anos. Até então, empresas trabalhavam com a economia linear — produção, consumo e descarte. Ou seja, depois de cumprirem sua vida útil, os produtos perdem o seu valor.

Talvez você pense: “ué, mas não é isso que temos ainda hoje?”. Sim, muitas empresas ainda trabalham com essa perspectiva. 

Porém, esse modelo gera desperdício para as empresas e desgaste para o planeta. Por isso, já está com os dias contados: a Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que 76,4% das indústrias brasileiras já adotam alguma iniciativa de economia circular.

Por que esse conceito é importante para os negócios?

A mudança da economia linear para a economia circular é uma urgência para o planeta. Os impactos da crise ambiental já são visíveis, e a ciência aponta que eles podem ser desastrosos em um futuro próximo.

Nesse cenário, os atores da economia — governos, empresas, organizações e consumidores — precisam mostrar seu compromisso com o meio ambiente, já que os seus processos têm um impacto significativo. 

No lado dos consumidores, a valorização de empresas que assumem sua responsabilidade socioambiental está crescendo, o que traz ganhos de imagem para elas.

Porém, a insustentabilidade do modelo econômico atual e a mudança de postura dos consumidores não são os únicos fatores que pressionam as empresas. Elas também veem na economia circular uma maneira de aumentar sua competitividade no mercado.

Uma mãos com pintada com tinta verde segurando um ramo de folhasEmpresas que adotam economia circular agradam os clientes cada vez mais.

Afinal, iniciativas de economia circular trazem eficiência para os processos produtivos e geram mais valor para as empresas. Quando você reutiliza materiais que seriam descartados, por exemplo, é possível produzir mais com os mesmos investimentos.

O estudo da CNI mostra que a busca por eficiência operacional é o principal motivo para a adoção de medidas de economia circular. Veja quais são os principais motivadores:

  • Busca de eficiência operacional (47,3%);
  • Oportunidade de novos negócios (22,6%);
  • Pedido de clientes (11,4%);
  • Cumprimento da legislação (9,3%);
  • Pedido de acionistas (3,9%).

Portanto, empresas que adotam a economia circular conseguem agradar clientes e atender às exigências legais, em um mercado cada vez mais engajado e exigente

Mas elas também têm benefícios econômicos com isso, ao ganhar eficiência nos processos, atrair investimentos, reduzir custos e melhorar sua imagem.

Quais são as principais medidas de economia circular que as empresas adotam?

Agora que você entendeu o que é economia circular, vamos ver as ações que as empresas adotam e que você também pode utilizar. Veja que as medidas podem ser implementadas ao longo de todo o processo produtivo:

Manutenção e extensão da vida do produto

Um dos princípios da economia circular é aumentar o tempo de uso dos produtos. Os conceitos de fast fashion e obsolescência programada, por exemplo, estão caindo em desuso, por incentivarem o descarte de produtos enquanto eles ainda têm valor de uso.

Em vez disso, as empresas devem investir na qualidade dos produtos para aumentar sua durabilidade, o que pode envolver mudanças de design, matéria-prima e processos de produção.

Também é importante oferecer canais de assistência para que os clientes façam a manutenção dos produtos, em vez de incentivar o descarte ou a troca.

O foco em serviços, aliás, é uma tendência de mercado para empresas como a Philips Lighting, que migrou da venda de lâmpadas para a iluminação como serviço. Assim, os clientes contratam o serviço para manter a iluminação da sua casa, e a empresa recupera materiais que seriam descartados.

Reuso e redistribuição

Na economia circular, bens usados que estão em bom estado não são descartados. Se o cliente não tem mais interesse no produto ou não quer fazer sua manutenção, ele pode destiná-lo ou vendê-lo a quem tem interesse em usá-lo. Na internet, isso é facilitado por sites que promovem o encontro entre vendedores e compradores de bens usados.

Outra alternativa são os mercados de compartilhamento. Produtos que passariam tempos parados e sem utilização podem ser compartilhados em comunidade para ter seu uso maximizado.

É a ideia de acesso aos produtos em vez de propriedade de bens. As empresas, então, podem promover essas redes de compartilhamento como um serviço.

Renovação e remanufatura

Quando os bens usados não estão em bom estado, as empresas podem recuperá-los para fazer sua manutenção, conserto ou renovação. Então, os produtos ou suas partes que estejam utilizáveis podem ser vendidas no mercado novamente.

Nesse processo, os clientes ainda podem receber algum benefício pela devolução, como um desconto em uma nova compra. Muitas empresas adotam essa estratégia no marketing como forma de fidelizar clientes.

Reciclagem de materiais e componentes

A reciclagem é um dos processos básicos da sustentabilidade. Em vez de virarem lixo, os produtos descartados são destinados a centros de reciclagem, que realizam os processos de coleta, separação, limpeza e processamento. 

garrafas guardadas para reutilizaçãoMateriais provenientes da reciclagem podem ser redistribuídos e voltar aos ciclos de produção.

A reciclagem pode ser ainda mais eficiente quando a empresa pensa nela desde o início da produção, ao evitar a mistura de materiais e a contaminação, que dificulta o processo.

Braskem, que é a maior produtora de resinas plásticas da América, utiliza plásticos descartados em lojas do Grupo Pão de Açúcar para criar novos produtos. O material é doado a cooperativas de reciclagem parceiras, que selecionam os materiais e produzem a resina (70% material reciclado e 30% polietileno virgem). O material, então, é vendido ao transformador de plástico, que produz a embalagem utilizada no envase de diferentes produtos.

Enfim, a mudança do modelo linear para a economia circular é um caminho sem volta. As empresas precisam adaptar seus processos para um mundo que se preocupa com o meio ambiente e com o futuro do planeta.

Mas não adianta adotar medidas superficiais ou ficar só discurso: a sustentabilidade deve ser um dos pilares da gestão do seu negócio.

Agora, leia um pouco mais sobre a sustentabilidade nas empresas e conscientize a sua equipe sobre a importância disso.


Sobre o autor

Grupo Raccoon Grupo Raccoon

Conteúdo exclusivo do Grupo Raccoon. O Grupo é formado pelas agências Calina, Raccoon e Rocky e tem performance em seu DNA.


Artigos Relacionados
× Baixe agora nosso e-book sobre 10 dicas de marketing digital para sua empresa
Quero o e-book!