Artigos

Nossos conteúdos

Que tal aprender mais sobre como o Marketing Digital consegue ajudar a sanar as dores do seu negócio?

Taxa de rejeição: entenda tudo sobre essa métrica

aprox. 17 min / marketing digital

Pessoa navegando na internet com seu tablet

Entre as métricas e relatórios do Google Analytics, existe um número que deixa muita gente preocupada: a taxa de rejeição. Afinal, ninguém quer ser rejeitado, não é?

Porém, embora o nome tenha uma conotação negativa, nem sempre a taxa de rejeição é motivo de preocupação. Você precisa analisar essa métrica para entender se ela aponta uma necessidade de otimização da sua página ou se é apenas consequência do seu tipo de conteúdo.

Quer entender melhor do que estamos falando? A seguir, vamos explicar tudo sobre o tema, confira!.

O que é taxa de rejeição ou bounce rate?

Imagem com 4 carinhas tristes e uma feliz formando um pêndulo A taxa de rejeição aponta se os usuários navegam ou deixam seu site ao acessá-lo após uma busca. 

Taxa de rejeição é o percentual de visitantes que acessou uma única página e saiu do site sem interagir com ela. Também é chamada, em inglês, de bounce rate.

Tecnicamente, o Google explica que uma rejeição é uma sessão de página única do site, que aciona apenas uma solicitação ao servidor — ou seja, um visitante que se limitou a abrir e fechar a página.

A taxa de rejeição é calculada dividindo o número de sessões de página única pelo número total de sessões. Você pode obter a taxa de rejeição dos visitantes do site todo, de páginas individuais ou ainda de determinados canais.

Taxa de rejeição X Taxa de saída

Existe uma dúvida comum em relação às métricas do Google Analytics: qual é a diferença entre a taxa de rejeição e a taxa de saída?

A rejeição, como explicamos, acontece quando o visitante acessa uma página e sai do site sem interagir com ela. Já a saída acontece quando o usuário já navegou por outras páginas e resolve sair do site.

Portanto, enquanto a taxa de rejeição mostra o percentual em que a página foi a única visitada pelo usuário, a taxa de saída é a porcentagem em que a página foi a última acessada.

Impacto em SEO

Outra dúvida bastante comum em relação à taxa de rejeição: ela afeta o posicionamento do site nos resultados da busca do Google? Muitos profissionais de SEO já tentaram responder essa questão, com inúmeros testes e estudos.

A resposta do Google é que não há qualquer impacto e que essa taxa não faz parte do seu algoritmo. Um dos principais motivos para isso é que se trata de uma métrica do Google Analytics, e nem todos os sites utilizam essa ferramenta

Além disso, ter uma alta taxa de rejeição pode ser bom ou ruim, dependendo do conteúdo da página. Então o Google também não tem como determinar se essa taxa deve impactar positiva ou negativamente no ranking.

Como interpretar a taxa de rejeição?

Dois rostinhos, um triste e um felizDependendo do conteúdo, a taxa de rejeição alta não precisa ser considerada algo ruim.

Se a taxa de rejeição representa a porcentagem de visitas de uma única página, já pensou que ela pode ser boa em alguns casos?

Em uma página de Fale Conosco, por exemplo, você não precisa que o usuário navegue por outras páginas para realizar o que interessa: encontrar seu telefone ou email e entrar em contato. Se o visitante acessa um blog post e lê todo o texto, é sinal que o conteúdo engajou, ele só não clicou em nenhum link.

Esses exemplos aumentam a taxa de rejeição do site. Porém, não representam qualquer prejuízo para o negócio, não é? Assim, tudo depende do tipo de conteúdo que a página oferece e da ação que você deseja que o usuário realize.

Por isso, para que se tenha certeza das métricas coletadas, é preciso analisar de perto quais são as páginas com maior taxa de rejeição e entender se a métrica é negativa ou positiva.

Se o seu objetivo é fazer com que os usuários naveguem além da página de entrada, uma alta taxa de rejeição é indesejável. Talvez os usuários estejam se deparando com algum problema de carregamento, um conteúdo de baixa qualidade, ou simplesmente não estão encontrando o que gostariam.

Nesses casos, pode haver um problema de conteúdo ou experiência do usuário na página, que merece atenção.

Como reduzir a taxa de rejeição?

Duas pessoas olhando para seus laptops enquanto anotam em uma folhaMelhorar a experiência do usuário ao visitar o site pode auxiliar na redução das taxas de rejeição.

A sua preocupação não deve ser exatamente reduzir a taxa de rejeição, esse percentual nem sempre é um problema. O foco aqui é melhorar a experiência do visitante no site, para que ele interaja com os conteúdos, clique nos links, preencha formulários e se torne uma oportunidade de negócio.

Se a taxa de rejeição reduzir, é sinal que você está conseguindo engajar mais o usuário. Agora, veja algumas dicas para fazer isso no seu site:

Entregue o que você promete

Um dos motivos que faz os usuários deixarem a sua página sem interagir é não encontrar aquilo que eles estavam procurando. Isso gera uma frustração, pois a pessoa clicou no link pensando que ele tinha as respostas que ela precisava.

Então, talvez o seu resumo na página de resultados da busca não esteja alinhado ao conteúdo que você entrega. Revise o título e a descrição (meta description) e verifique se eles estão condizentes com o que a página oferece e com a intenção do usuário ao buscar determinada palavra-chave.

Cuidado com os pop-ups

Pop-ups podem provocar uma experiência negativa. Se a pessoa clicou no link em busca de uma resposta para a sua pesquisa, é isso que ela quer encontrar. Ela não quer ver chamadas e anúncios saltando na sua tela. Isso já acontece muito com as janelas que pedem autorização para usar os cookies e para enviar notificações push. 

Muitos sites ainda usam pop-ups para pedir o cadastro na newsletter ou entregar um cupom de desconto, por exemplo. São benefícios interessantes para o usuário, mas que talvez não interessem naquele momento e o façam desistir da visita.

Então, use pop-ups com moderação. Eles podem gerar as conversões que você deseja, mas muitas vezes podem afastar os visitantes e aumentar a taxa de rejeição.

Faça o usuário interagir com a página

Outra forma de reduzir a taxa de rejeição é incentivar o usuário a interagir com a página. Qualquer clique já faz o Google Analytics entender que o visitante se engajou com o conteúdo.

Portanto, utilize chamadas para ação (CTAs) que incentivem o clique. Você pode direcionar o usuário para materiais ricos do site (ebooks, infográficos, pesquisas etc.) ou formulários de orçamento, por exemplo.

Outra ideia é trabalhar com conteúdos interativos, como quizzes, questionários e calculadoras, que estimulam a participação.

Aproveite também para inserir links internos no conteúdo, que façam o usuário navegar pelo site e conhecer outras páginas.

Cuide da velocidade e da responsividade

A demora no carregamento da página e os problemas de navegação em dispositivos móveis são determinantes para a taxa de rejeição. Bastam alguns segundos de lentidão ou uma imagem que não carrega para o usuário desistir da visita.

Por isso, é importante verificar como está a velocidade de carregamento do site (em desktop e mobile) e a compatibilidade com dispositivos móveis. Utilize a ferramenta Test My Site, do Google, para fazer essa análise e corrigir esses problemas de usabilidade.

Agora, você já sabe como começar a analisar o indicador de taxa de rejeição nos seus relatórios do Google Analytics! Esse percentual pode ajudar você a perceber que há algum problema prejudicando a experiência do usuário na página. Quando o bounce rate estiver alto, analise mais de perto as causas e otimize o que for necessário para engajar o seu visitante.

Se você quer saber outras formas de melhorar a experiência no seu site, aproveite para ler também sobre como produzir conteúdo digital eficiente.

Leia mais em nosso blog!


Sobre o autor

Marina Alves Marina Alves


Artigos Relacionados
× Se interessou pelo conteúdo? Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar seu negócio
Fale conosco